Julho 14, 2020

Quer ser um verdadeiro Especialista? Descubra o que é preciso.

PERSONAL BRANDING

Há um tempo, uma cliente disse-me uma frase que me ficou na cabeça. Eu tinha-lhe dito para colocar no seu título Especialista em... (área dela) e ela respondeu-me imediatamente: "Tens a certeza? Agora toda a gente diz que é especialista e eu vou ser mais uma." E eu respondi-lhe que não queria saber se os outros também o diziam, eu queria saber dela.

Não quero mesmo saber. Se eu fosse acreditar em todas as pessoas que se auto-intitulam de especialistas em qualquer coisa, estava bem arranjada... Se os meus clientes são verdadeiros especialistas em algo, então força, sigam caminho, afirmando-se como tal. Era só o que faltava não afirmarem o que são, só porque outros afirmam o que não são.

 

É hora de ser o que diz ser.

Dizer que somos especialistas em..., colocar isso no nosso título ou apresentação, é muito. muito fácil. Fácil demais. A grande questão vem mais tarde. Não basta dizer nem parecer. É preciso ser. E aqui entra uma boa gestão da Marca Pessoal e também a autenticidade que tanto se fala.

O que não falta aí são "especialistas".

Pessoas a dizerem que são especialistas há muitas. Verdadeiros especialistas há poucos.

E a verdade vem sempre ao de cima. As máscaras caiem sempre. Mais cedo ou mais tarde. E basta estarmos um pouco atentos para detectarmos quem é ou não é afinal especialista. E eu vou dizer-lhe aqui, como o fazer.

 

Vamos falar sobre uma área que conheço bem.

A área que eu melhor conheço é a minha, o Personal Branding, e por isso, não irei mais longe. Ficarei mesmo por aqui para lhe dar alguns exemplos. Mas tudo isto acontece em muitas outras áreas.

Todos os dias surgem novos "especialistas" em Personal Branding.

 

Não é por tirarmos um workshop, um curso, lermos um livro, termos feito um website para nós, adorarmos um guru da área, acharmos que o tema é top ou gostarmos muito de algo, que isso faz de nós especialistas em algo.

 

Afirmar que se é especialista em algo com base nisto é simplesmente egocêntrico e mentira.

Ah, agora vou colocar ali Personal Branding e pronto, já está no título. O que percebem de Personal Branding? Alguns, rigorosamente nada. Outros, pesquisaram e ouviram uma coisas e depois, há os verdadeiros.

Os verdadeiros especialistas ficam com um papel um pouco ingrato, até. Sabem porquê? Porque têm de "limpar" a porcaria que os falsos especialistas dizem e fazem. Porque têm que reeducar o mercado. Porque têm de mostrar o que é realmente o Personal Branding. Os falsos podem até nem "roubar" clientes mas estragam o mercado. Estragam o verdadeiro valor da temática em causa.

Mas existirão sempre. Teremos de conviver com eles, para o bem e para o mal. O que eu sugiro aos meus clientes é também o que faço para mim. Identifique a sua "concorrência", analise-a e depois avance e nunca, mas nunca, defina a sua estratégia com base no que ela tem feito ou apregoa que fará. Não perca demasiado tempo com isto. Não vale a pena.

 

Observe o seu mercado. Sem medo. Conhecimento é poder.

Nos últimos tempos dediquei algum (não muito) tempo a analisar alguma "concorrência". Gosto de saber o que se passa. Devo saber. Não vou estar aqui com a hipocrisia de dizer que não vejo e não faço ideia. Faz parte da gestão da Marca. E até porque tenho recebido muitos contactos "suspeitos", que já me começam a cansar um pouco. Decidi fazer alguma pesquisa, ouvir alguns webinars e pronto. Está feito. Não vou "perder" mais tempo com isto.

 

Podem ter discursos muito bem preparados, o cabelo fantástico, uma maquilhagem óptima mas, é no que dizem e no que escrevem que eu me concentro. O resto é paisagem.

 

Comecemos pelos "falsos especialistas". Que pessoas são estas?

  • Pessoas que, de um dia para o outro (e é mesmo de um dia para o outro), resolveram ser especialistas em Marca Pessoal. Porque tiraram um curso e sei lá mais porquê. O seu discurso sobre Marca Pessoal mete dó. Algumas nem chegam a falar realmente do tema.
  • Pessoas que mudam o seu statement e áreas de actuação todos os dias. Isto existe mesmo. Deve ser conforme surge algum contacto de um potencial cliente (esta é a melhor e a mais simpática explicação que encontro).
  • Pessoas que tiraram um curso e já se afirmam especialistas. Não basta, nem por sombras.
  • Pessoas que criam metodologias completamente idiotas só para dizerem que criaram algo de "assinatura", em que qualquer pessoa minimamente informada sobre o tema, sabe que aquilo não faz sentido nenhum.
  • Pessoas que fazem uma "perninha" no Personal Branding, outra "perninha" em não sei o quê, outra em não sei o quê nem que mais... Com tantas "perninhas" estão mais para polvo do que especialistas. Não basta a "perninha", é preciso o corpo todo.
  • Pessoas que vão aos cursos de especialistas para "sacarem" a matéria e depois se apresentarem como especialistas.
  • Pessoas que fazem uma coisinha qualquer (que por acaso não tem qualidade nenhuma) mas alguém viu e achou fantástico e lhe deu uma oportunidade para se destacar e aquilo sobe-lhe à cabeça.
  • Pessoas que mudam a sua apresentação constantemente.
  • Pessoas que nunca mexeram uma palha para elevarem o mercado onde trabalham até aparecer alguém que o faça.
  • Pessoas que são especialistas e falam de 10 coisas. Vá lá, uma já dá bastante trabalho, quanto mais 10...
  • Pessoas que não fazem a mínima ideia do que são os temas, mas falam com base em generalidades.
  • Pessoas que dizem sempre, sempre o mesmo. Aquelas frases que não dizem nada e não excedem as 4 linhas.
  • Pessoas que passam a vida no copiar e colar de outras pessoas e do google.
  • Pessoas que não conseguem responder a dúvidas em tempo real e enrolam.
  • Pessoas que dizem que gostam que lhes coloquem questões, mas na realidade estão desejosas que ninguém lhes pergunte absolutamente nada.
  • Pessoas by the book. Dizem e fazem o que tinham previamente delineado, independentemente de aquilo não servir para o momento.
  • Pessoas que aparecem e desaparecem como se não tivesse acontecido nada.
  • Pessoas que deram uma entrevista para um media qualquer que nunca ninguém ouviu falar e agora são o supra suma da batata.
  • Pessoas que se contradizem, consoante a situação.
  • Pessoas que enrolam, enrolam, enrolam...
  • Pessoas que dizem que fazem e não fazem.
  • Pessoas que vivem à custa dos verdadeiros especialistas. Colam-se.

 

Podia continuar, mas acho que já deve ter percebido a ideia. Não inventei nada disto, já vi de tudo um pouco. Posso imaginar que você também. Estas pessoas não são especialistas. Quer dizer, até podem ser, mas isto não é prova de coisa nenhuma. É prova de "chico espertice".

Não sei porque é que às vezes ainda fico impressionada com certas coisas. Já devia estar habituada. Mas, cada vez me rio mais. Esta é a minha recomendação se também assiste a algo parecido.

 

Então, se isto não é ser especialista. O que é então? Como saber se estamos perante um verdadeiro especialista? O que deve ter?

 

Um verdadeiro especialista:

  • Dá o exemplo. Pratica o que diz. Faz o que diz fazer. Vive o que apregoa.
  • Domina o tema. Não basta dar uns toques, dizer umas generalidades. É preciso aprofundar e bem o tema.
  • Tem experiência sobre o que aborda. Não nasceu especialista nem acordou assim de repente. Viveu.
  • Diz o óbvio e para além do óbvio. Inspira, surpreende e leva-nos a pensar. Faz algo inesperado.
  • Não vive apenas de teorias. Vai para o terreno. Mostra-se em acção e sem ser uma representação. Dá exemplos reais e actuais.
  • Partilha parte do seu conhecimento sem pedir nada em troca. Não vive apenas focado em fazer dinheiro. Não tem medo de dar.
  • Está em serviço. Para contribuir para algo melhor ou diferente. Importa-se com algo maior do que ele e com os outros.
  • Entrega valor. Não vive focado em si nem nos seus feitos.
  • É consistente. Trabalha diariamente. Sabe que irá colher o que plantar.
  • É coerente. Consigo e com os outros.
  • Tem o seu próprio brilho e usa-o. Não precisa de usar o de outras pessoas.
  • Avança com tendências. Consegue ter ideias sobre o futuro.
  • É inovador. Cria, antecipa-se, lidera.
  • Apresenta as suas próprias perspectivas, visões, opiniões. Nota-se que é pessoal, saiu mesmo dele. É original.
  • Cria conteúdo original. Diz o que ninguém ainda disse. Tem voz própria e usa-a.
  • Tem uma mensagem clara. Anuncia-a e leva-a a diante com força, convicção e consistência.
  • Está em evolução constante. Não quer nem pára de aprender e saber mais.
  • Usa a combinação cérebro & coração. É racional e emocional. É inteligente e apaixonado.
  • Tem resposta. Quando é colocado perante algo inesperado ou uma questão não programada, consegue dar um feedback lógico e personalizado.
  • Foca-se. Pode gostar de muitas outras coisas na vida, mas sabe focar-se e dedicar-se ao seu tema, sempre. Não se perde. Não quer ser tudo nem quer ser para todos.
  • Apresenta resultados. Os resultados do seu trabalho. Revela-os. Mostra-os. Dá provas.
  • Dispensa apresentações. Nem precisa abrir a boca para saberem quem é e o que faz.
  • Não actua com base em likes. É apenas uma de muitas métricas. Está muito longe de ser o que lhe interessa.
  • Não segue modas. É fiel a si próprio e à sua linha de pensamento.
  • É valioso. E sabe que o é. E sabe não se depreciar. É uma questão de justiça.
  • Respira a sua expertise. Expressa-se com paixão e isso nota-se a léguas.
  • Não se cala. Ficaria horas e mais horas a falar sobre a sua especialidade.

 

A sua verdadeira especialidade espera por si.

O Mundo está cheio de ruído. Eu ajudo-o a cortá-lo e a destacar-se, sendo você próprio. Uma Marca Pessoal forte, poderosa e autêntica vai revelar o verdadeiro especialista que você é.